Férias tranquilas sem carro



Para recarregar baterias decidimos ir dar umas voltas pelo barvalento e sotavento Algarvio

Sendo a bicicleta o nosso veículo principal, para distâncias maiores como esta tínhamos 3 opções, comboio, aluguer de automóvel e autocarro. Normalmente decidimos sempre as deslocações por esta ordem de preferência. E agora com um bebé na equação, o comboio é sem dúvida o melhor dos 3 porque oferece um melhor conforto, rapidez e segurança. 

Decidimos também optar pelas nossas Dahon Curve e Piccolo de roda 16, as mais compactas, para podermos ter a liberdade de apanhar um taxi ou autocarro sempre que fosse necessário. Sobre a bagagem, dividimos tudo em 4 malas médias. Tínhamos também o carrinho dele que funciona muito bem como atrelado.  Aproveitamos logo essa vantagem no início porque o menino chegou a Portimão a dormir e apanhamos um taxi (tipo familiar) sem problemas. 


As duas malas mais pesadas ficaram na traseira, o mais afastadas possível para não se bater com os pés. À frente um adaptador Klickfix mais um saco Basil turquesa (Boheme Carry All) modificado para encaixar no adaptador que leva até 7 ou 8kgs e na Curve um Kanga rack da Tern + Luggage Truss que não interfere na direcção + um saco da Bashô


Atrelar o carrinho é muito simples, basta prender as duas rodas da frente com um velcro (anda sempre com dois ou 3 na bicicleta, são os teus melhores amigos!) e o elástico triplo que vêm de origem no suporte serve perfeitamente para prender o carrinho no meio. Em andamento não se sente praticamente nada. 
A entrar no comboio, apenas tem de se tirar novamente o carrinho e desanexar as malas da frente. As traseiras ficam.


No comboio Intercidades (para Faro) é importante reservares os lugares com opção de transporte de bicicleta. Tanto na ida como na volta calhou a mesma carruagem (21) com lugares 12 e 18 que ficam juntos. Há muito mais espaço no Intercidades do que no Alfa. Se por acaso não conseguisse a reserva com bicicleta, como são dobráveis não havia problema, mas facilita a logística não ter de as dobrar. Apesar de gostar muito de comprar o bilhete na bilheteira à "moda antiga" neste caso prefiro despachar já tudo online e ficar descansado. 
Há também espaço para o carrinho ir aberto e o menino poder ir a dormir mais confortavelmente do que num automóvel ou autocarro. Lembrando que no comboio não se sente as curvas nem as vibrações típicas de um transporte rodoviário e que tornam as viagens grandes mais cansativas. Melhor do que isto só o avião (ou não!) 
Em vez de as pendurarmos ficam assim em baixo e com as malas por cima para os outros passageiros poderem por as suas malas também, apesar de termos direito a parte desse espaço e também ao espaço das malas por cima dos bancos. Mas nem foi preciso.

O comboio IC também tem a carruagem bar que é muito confortável e com janelas grandes para ir a apreciar a viagem.



No Pinhal Novo tivemos um percalço, a locomotiva avariou e tivemos 2 horas à espera que resolvessem o problema. Deu tempo para sairmos por aí e tomarmos café e comer qq coisa fora do comboio. Aqui um belo ponto negativo para a CP que não tem plano de emergência. Ou o único que tem é mandar vir uma de Lisboa novamente. Também acabamos por ter esta viagem de borla, porque segundo a lei se o atraso for superior a 1h devolvem o valor na integra. Basta reclamar no site da CP , escolhendo "reclamação" e depois "perturbações na circulação". Reclamei ao fim de uns dias e já me devolveram o valor (cerca de 45€) Era bom que todos o fizessem porque só assim se consegue um melhor serviço. Isto e também a boa reclamação no livro vermelho. 
Na volta não tivemos problemas.


Chegados a Tunes, há a logística de passar do IC para o velhinho regional a gasóleo. Para um casal não é difícil, enquanto um trata do mais importante, tomar conta do pequeno, o outro faz o resto.
Há sempre aquele nervosismo para sair do comboio rápido antes que parta, mas não vale a pena que só sai quando o revisor tem a certeza de que todos saíram.

O regional tem ainda mais espaço para bagagem, embora o acesso seja um pouco mais difícil pela distância à plataforma. Mas come-se.


De lembrar que quem vai para Este (Albufeira, Quarteira, Faro) não precisa de mudar.


Em Portimão escolhemos um acolhedor T1 com piscina no Airbnb que pertencia à empresa A minha casa de férias. A ideia era fazer uns 4 dias e depois ir para outro sítio. Umas mini férias. É importante escolher uma casa térrea ou com elevador. As bicicletas ficam dentro de casa. + 1 ponto positivo para as binas nomeadamente as de pequeno porte, que assim não ficam sujeitas a vandalismos que estragariam o passeio. Eu já fiquei apeado com um automóvel nas férias por isso sei bem do que falo :/


Portimão é uma cidade que oferece um pouco de tudo, praia, noite, paisagem, centro histórico. Embora a mobilidade esteja muito centrada no automóvel e os acessos mais difíceis principalmente na parte nova. Na parte mais antiga já há ciclovias e a ponte velha que faz ligação a Lagoa e permite a circulação de pessoas/bicicletas. Raramente andamos na estrada, os passeios são muito largos e consegue-se dar a volta completa a toda a cidade sem filmes e com toda a segurança.

  



Uma grande vantagem da bicicleta é que permite descobrir coisas que de outra forma passariam despercebidas e num contexto de férias sente-se ainda mais isso.

 O centro de Portimão é muito bonito, sempre com o Rio Arade como pano de fundo e o cheiro a maresia típico destas regiões. 



Uma coisa em ter em conta com crianças, principalmente bebés é parar muitas vezes para dar água, o protector solar e damos sempre prioridade a trajectos com sombras. 

A praia em Portimão é de difícil acesso, ou vá moderado, porque grande parte da cidade fica muito acima do nível do mar. Há sempre escadarias compridas de acesso. 



A praia da Rocha é a zona mais conhecida principalmente pela noite que não precisa de ser interdita a famílias com bebés. Não estaremos a falar de bares ou discotecas, mas de um belo passeio pela promenade ao fim da tarde, com direito a por do sol e um belo jantar a horas decentes. Nestas alturas dá-se descanso às bicicletas e utiliza-se a forma mais natural de locomoção. Aliás a bicicleta só compensa em deslocações acima de 2kms pelo menos num contexto de férias. E há sempre muitos taxis e uber´s por perto.


É uma sensação de relaxamento e paz poder andar livremente com a família, sem ter de estar preocupado com o sítio onde deixo o carro ou trânsitos parvos. Compra-se mais em comércio local e há mais tempo para o que mais importa. Mas também se visita grandes superfícies porque temos as bicicletas devidamente equipadas para levar carga. É importante também levar dois bons cadeados tipo Kryptonite com cabo para apanhar o selim. 

Faro
Quando acabou a estadia em Portimão queríamos continuar a passear pelo Algarve, mas por ser muito em cima da hora já não apanhámos casas de jeito. Como era a primeira viagem do pequeno, não quisemos abusar. Por isso fomos só ficar mais dois dias em Faro em casa de uns amigos. Apenas apanhamos o Regional que faz a linha do Algarve de Lagos a Vila Real. Esta viagem (Portimão - Faro) custou apenas 12€ dura pouco mais de 1h, sem stress, sem emissões (tirando o comboio em si a gasóleo mas que compensa pelo elevado numero de pessoas a transportar).


Na chegada a Faro, pela hora a prioridade era o almoço. Encontramos um restaurante,  "Os 2 irmãos" onde fomos muito bem recebidos com espaço seguro e agradável para guardar as bicicletas. O tamanho compacto das bicicletas conta muito nestas horas, mesmo que não precises de as dobrar.





E foi assim que fechamos o Verão. Agora é ir abrir o estaminé para vos vender guardalamas e luzes que bem vão precisar :))

Segue o minivelocentral.com aquirecebe por email os novos posts e partilha nas redes se achaste interessante.



Dahon Curve
Closed group · 39 members
Join Group



Comentários