A bicicleta e os comboios portugueses

De todos os transportes complementares, o comboio é de longe a melhor opção para dar aquele salto de uma centena de km que não interessa fazer de bicicleta, ou que até pode interessar mas não estás para aí virado. É também o que facilita mais na logística. Nas minhas deslocações pelo país e dentro da cidade, privilegio sempre o comboio mesmo que por vezes existam alternativas mais rápidas (ex bons autocarros vs decadente Linha do Oeste e Algarve)


Há vários modelos de comboio, cada um com as suas especificações/limitações para transporte de bagagem, por isso deixo aqui catalogado todos os modelos que estão a operar em Portugal, para que não sejas surpreendido(a) na hora da partida.
Se carregares nos números das séries vais para a respectiva página no site da transportadora ou wikipédia.

Condições transporte de bicicletas
Fertagus (Lisboa, Roma-Areeiro - Setúbal)

CP - Comboios de Portugal

Facilmente se transportam bicicletas eléctricas grandes por ex. Claro que há zonas com muita afluência de passageiros.
Fazem o serviço regional, inter-regional das linhas electrificadas e alguns suburbanos como o da Figueira da Foz-Coimbra, Barreiro - Praias do Sado e alguns no Porto. Também fazem alguns serviços Intercidades(Beira baixa). Têm espaço para bicicletas junto aos 2 wc's que existem e que ficam sempre no inicio/fim da automotora. Pelas regras (no serviço regional) deve-se falar com o revisor primeiro. Se for dobrável conta como bagagem de mão. Atenção que há restrições de horário para bicicletas não dobráveis (ver aqui)

Existem umas correias para poder agarrar a bicicleta. Se gostas de conservar a pintura, muito cuidado com a tendência dos outros ciclistas menos experientes para encostarem as bicicletas à tua sem acautelarem se vai tombar ou não. De vez em quando o comboio troca de linha e o impacto é grande. Nada como dialogar, perguntar onde vai sair. Se for distância grande, dobra-a se for o caso.


CP 5600+ Carruagens Corail ou Sorefame

A locomotiva eléctrica que faz os Intercidades, puxando as carruagens Corail ou Sorefame renovadas. Em linhas sem electrificação, ou por outros motivos, as carruagens podem ser rebocadas pelas CP 1400 a gasóleo.
Para o transporte de bicicletas o bilhete tem de ser comprado com essa indicação porque há lugares marcados para quem as transporta e que ficam junto destas. Aconselho compra online sempre que possível. Se for uma dobrável é considerada bagagem de mão e não é necessário saco para a guardar, ficando na zona das bagagens em qualquer carruagem. 
Atenção às bicicletas eléctricas grandes e pesadas porque a porta de entrada é muito estreita e pode não dar margem para virar, eventualmente ter de se tirar a roda (que pode ser complicado). Mesmo que dê, uma viagem que supostamente devia ser agradável pode deixar de o ser. E o peso do suporte é limitado a 25.

Neste caso podiam ir dobradas mas não valia a pena porque havia poucas pessoas. (Carruagem Sorefame)
👉Férias tranquilas sem carro

Alfa Pendular (Fiat 4000)

O comboio mais rápido da CP que faz o Intercidades Braga - Faro (nem sempre faz o trajecto inteiro)
Pode ser a automotora restaurada em cima ou a original em baixo

Apenas permite o transporte de bicicletas que caibam na zona destinada a bagagens ou debaixo dos bancos. Na prática, minivelos sem as rodas, ou dobráveis
Com um bocado de jeito também se conseguem bicicletas maiores como estas em baixo, mas é melhor não fazer muitos planos porque o comboio pode ir cheio. 

Créditos: lulicox.com



Allan 0350

Este comboio a gasóleo que lembra uma lagarta faz os Regionais e InterRegionais como o serviço de Badajoz. Tem pouco espaço para bicicletas, mas como vai quase sempre vazio nunca deve haver problema. Recomendo apenas dobráveis



CP 0450

Tanto podes apanhar a super antiga de 1999 em azul, como as novas amarelas renovadas
São a gasóleo para os serviços Regionais/InterRegionais de linhas não electrificadas, como o Oeste, Algarve
Nos topos da automotora tem este espaço enorme destinado ao que quer que seja. Têm ganchos para pendurar bicicletas. Nota que o acesso a ele é muito difícil porque fica a uma altura considerável da plataforma. Bicicletas pesadas é complicado mais ainda se fores sozinho(a). E ainda tens os alforges, malas, etc. Primeiro pões a primeira roda, com o outro braço puxas-te para cima enquanto seguras a bike com o outro.
👉A linha do Oeste em 5 fins de semana



O comboio da linha do Vouga. Sim aquele que tem aparecido muito nas notícias por já a andar a menos de 20km/h por causa do estado da linha (bitola métrica), das automotoras e aquele em que o(a) revisor(a) tem de sair do comboio para fechar a cancela, voltar a entrar, depois sair outra vez para a abrir e ir a correr para entrar novamente no comboio. Ainda assim uma viagem espectacular pelo Vouga a preço de banana. Segundo o site da CP é o mais complicado para bicicletas, por isso...  dobrável 




CP 592 - "Camelos"

Alugadas à espanhola Renfe, estas automotoras a gasóleo fazem a linha do Douro, Minho e de vez em quando Oeste. O Celta (ligação Porto-Vigo) é feito com estas automotoras pela linha do Minho

Segundo a CP, no serviço CELTA depende do revisor poder entrar ou não com a bicicleta sem ser desmontada e dentro de um saco. Por isso na dúvida vai já preparado para não ficares a ver o revisor a dizer-te adeus com um sorriso à Joker. Ou então... dobrável, sempre a melhor opção ^_^

Sud Expresso / Lusitânia Comboio Hotel
Carruagens Renfe Talgo IV + CP 5600

Carruagens da espanhola Renfe puxadas pela locomotiva portuguesa até à fronteira. Depois troca de locomotiva. Fazem o serviço Lisboa - Hendaye (que liga ao TGV a Paris) e o Lisboa - Madrid. 
"O transporte de bicicletas é gratuito, sendo apenas permitido em compartimentos-cama, com o máximo de duas por compartimento, na condição de que seja vendido em regime familiar e as bicicletas estejam devidamente embaladas e não ultrapassem as dimensões 1,20x0,90m."

Desta vez as bicicletas têm de ir desmontadas. Mais uma vez uma dobrável é a melhor solução para combinar com este serviço servindo como bagagem de mão, não precisando de comprar o compartimento-cama. Devido ao muito pouco espaço mesmo de bagagem, recomendo bicicletas dobráveis de roda 16 ou 18


Comboios Urbanos Lisboa

Série 2300-2400

Fazem a linha de Sintra/Azambuja
Tem carruagens específicas para bicicletas. Não tem espaço para as prender, mas a carruagem tem sempre postes metálicos onde as podemos encostar.
Apesar da tendência ser de colocar junto à rampa que serve para as pessoas com mobilidade reduzida subirem, o certo é colocar mais à frente, como está na imagem. Importante perceber que nesta zona pessoas com mobilidade reduzida, carrinhos de bebé ou bicicletas têm prioridade, por isso mesmo que estejam pessoas sentadas deve-se ocupar esta zona (em frente à placa azul) para facilitar as entradas e saídas do comboio.
Há uma carruagem destas por comboio. Como habitualmente circulam dois ligados entre si, serão duas.


Série 3500 - CP e Fertagus

As duas operadoras operam com esta série, a única de dois pisos em Portugal. A CP costuma usá-los na linha da Azambuja e a Fertagus na linha se Setubal (Areeiro - Setubal). No caso da Fertagus são usadas 8 composições. 
Tem  espaços próprios para bicicletas, 2 por comboio que ficam na segunda porta da automotora

Este espaço dá para pelo menos 4 bicicletas.
Este minúsculo espaço noutra carruagem é o oficialmente destinado a bicicletas (a carruagem tem o símbolo na porta). Como podes ver o limite é uma minivelo...
No caso da Fertagus o símbolo está nas carruagens de topo. Mas na prática tanto num como o outro podes usar os dois locais


Se for uma footbike como a SwiftyOne ou uma dobrável como a Dahon Curve, ambas de roda 16, podes sempre explorar outros sítios mais escondidos



Os meus pais tinham uns 3 ou 4 anos quando foram feitas. Anos 50. Apesar de restauradas em 98, são a par do Vouguinha as mais antigas automotoras. E por a linha ter um diferente tipo de corrente eléctrica, não podem ser substituídas por já não se fazer nada compatível para esta linha (e aposto que se ainda fizessem não compravam na mesma). É como aquelas bicicletas que têm rodas com medidas antigas que já  não se fazem e como não consegues pneus, tens de as trocar para uma medida próxima. Neste caso têm de trocar toda a linha, adaptar estações e novos comboios.


Apesar de tudo, há um espaço razoável para transportar a bicicleta especialmente se for uma minivelo como a Veli ou dobrável. 

Comboios Urbanos Porto

UME 3400
Se a memória não me falha foi a ultima aquisição de comboios NOVOS em 2002. Asseguram a totalidade das linhas urbanas do Porto. Como curiosidade segundo a wiki estava previsto virem também para a linha de Cascais. Não consegui uma fotografia do espaço para bicicletas, se alguém tiver uma agradeço muito a partilha :)
Em todo o caso é permitido o transporte de bicicletas e existe uma carruagem própria para isso.

E é isto, se detectares alguma falha ou info que seja importante estar por favor deixa nos comentários ou envia-me msg. Vou mantendo este post actualizado.

Segue o minivelocentral.com aqui, recebe por email os novos posts e partilha nas redes se achaste interessante.

Comentários

  1. Um pequeno acrescento. Nos Intercidades tanto circulam as carruagens Corail (onde as bicicletas ficam nos suportes fora do salão), como em carruagens Sorefame Renovadas, onde as bicicletas circulam também penduradas dentro do salão.
    Na prática não há nenhuma diferença, até é normal haver comboios com as dois tipos de carruagens misturadas. Mas poderá haver que pense que nas Sorefames não é permitido o transporte. Curiosamente na foto que está no artigo com as bicicletas no interior é de uma carruagem Sorefame.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário