Veli x Zehus

Desta vez um pedido diferente do habitual. O Zehus é um motor italiano auto-regenerativo, tudo num só e assenta que nem uma luva numa bicicleta minimalista como a Veli

O Miguel tinha (e ainda tem, penso que a quer vender) uma estradeira muito bonita, branca, com um cubo de mudanças internas 8v da Shimano montada na antiga loja Build My Bike e que infelizmente já não existe. 
Por isso mesmo tem recorrido à minha pessoa para lhe ir dando alguma manutenção. Só que o Miguel tem um problema comum a muitos em Lisboa, algumas subidas íngremes e neste caso particular a Afonso III (continuação da Rua Morais Soares a partir do Alto de S.João- Cemitério) 


Imagina subir isto todos os dias, com os simpáticos motoristas todos eles com veículos eléctricos que não deitam fumo, atrás de ti cheios de paciência e bons modos. 

Por isso era urgente uma solução e o Miguel varreu a net à procura dela. Deixou-se encantar pela simplicidade de soluções como o Zehus ou a Copeganhen Wheel. Esta ultima com o dobro do preço. Ainda para mais havia o bichinho que eu já lhe tinha posto das minivelos e para roda 20" o Zehus era realmente a melhor opção. 

Acabou por escolher um dos ultimos quadros Veli em verde pistachio
Em relação à construção dela, não te deixes enganar pelo aspecto minimalista, é algo complexa, desde a construção da roda com vários tamanhos de raios, aos alinhamentos, configuração do sistema, toques finais, testes, etc.  Foram muitas horas de volta dela! 

Isto contrasta com a utilização dela que é muito muito simples. É só escolher o modo no telefone (que se liga por bluetooth) e voilá.

A aplicação chama-se Bitride  e está disponível para IOS e Android. Tens 6 modos à escolha incluindo o off, que te dão a força consoante o que pretendes. Para além disso podes regular o Kers que ao criar mais atrito, regenera mais energia para a bateria (em descidas por ex) Com alguma habilidade podes andar mesmo muitos dias, semanas, sem carregar a bateria. Há mesmo um modo mais leve o Bike+ que teoricamente possibilita não teres sequer de a carregar!

Podes também ver aqueles dados normais como a distância percorrida, velocidade, etc. E ainda configurar a inclinação dela para que o motor reaja mais tarde ou mais cedo nas subidas. A função de bloqueio no motor é que não está disponível por alguma razão. Já questionei a empresa, estou a aguardar resposta.

o HUB

O Zehus Bike + é constituído por motor (aquela roda preta/prata), a bateria (a roda maior com conjunto de  células verdes) o sensor (a roda verde fina com chips), tudo dentro de uma caixa de aço inox e cromada muito robusta e que ajuda a arrefecer o sistema. 

Dentro do eixo do lado direito está a entrada do carregador. Esta entrada é tapada por uma tampa robusta em aço cromado, que enrosca nela. A ficha do carregador também enrosca no eixo. É preciso ter cuidado para não danificar os pinos ao carregar, aquilo tem uma posição certa. Esquece lá como quando fazes com o telefone em que, no meio da rotina diária acelerada, parece lhe espetas uma faca sempre que o pões a carregar. A pressa é inimiga da perfeição :)

No atelier de montagem
Raramente coloco fotos da oficina onde se montam as Veli porque por regra está sempre virada do avesso. Neste dia não foi excepção, enfim. 😅 Ao fundo no suporte a futura Veli do Miguel. 

Veli x Zehus
Com o quadro claro em verde pistachio escolheram-se componentes prata e alguns detalhes pretos como as bichas, o logotipo e os pneus Schwalbe Marathon Plus 20x1.35 com faixa reflectora, antifuro e grande pressão.

Este ultimo quadro Veli é o usado nos modelos que estão disponíveis no site velibike.com Recordando que já não faço séries iguais como em 2016/2018 e o que se vai fazendo é a pedido. 
Este é um quadro mais versátil, tem pivots para vbrake, espaço para pneus mais largos ou roda 451



Customisação

Se já não chegava a exclusividade de ter uma Veli com Zehus, o Miguel ainda quis colocar um guardalamas de madeira atrás, assim como o seu duradouro Brooks. 




A campainha japonesa dourada e o mini espelho que recolhe da Zefal.


O aspecto final dela. 
No canto esquerdo a edição especial 5 anos Veli

Entretanto já tive algum feedback dele. O motor porta-se como esperado, ficou a faltar a questão do bloqueio do motor. A bicicleta em si, por ser uma minivelo, foi uma surpresa agradável no para-arranca em trânsito, pela sua grande aceleração e manobrabilidade. Uma tendência que veio do Japão para ficar, com cada vez mais marcas Europeias a apostarem neste conceito que era desconhecido quando a Veli arrancou em 2014. 

Se tiveres algum projecto que envolva minivelos ou dobráveis em mente envia-me uma mensagem para discutirmos isso :)

Segue o minivelocentral.com aqui, recebe por email os novos posts e partilha nas redes se achaste interessante.



Comentários

Publicar um comentário