Ecopista do Dão - parte 2

A 4ª e última etapa do nosso roteiro, que começou em Aveiro e acabou no final da Ecopista do Dão em Santa Comba Dão.

ponte ferroviária - km 45
Recordando que fizemos estas voltas numa combinação carro + bicicleta  ao contrário do habitual. Normalmente fazemos de comboio, mas como tínhamos mais objetivos para além das ecopistas, foi a melhor opção desta vez. Para quem vem em exclusivo para isto, o comboio ou expresso é o perfeito porque não ficas limitado. Podes fazer toda a ecopista sem necessidade de voltar pelo mesmo caminho e assim aproveitar melhor. 

Depois de termos voltado de autocarro para a nossa casa emprestada, carregamos o carro e rumámos a S. Comba Dão, onde termina a Ecopista do Dão. 

Tondela fica a meio do percurso (km 28.5). A ecopista está dividida por cores no piso, Viseu vermelha, Tondela verde e Dão azul. 
Estas fotos tirei num dia chuvoso quando fomos à Serra do Caramulo. Esta é a antiga estação muito bem conservada 
Como era antigamente :) 

Este ponto da ecopista está muito bem equipado, estação de lavagem de bicicletas, wc, estacionamento (incluindo posto de carregamento para carros eléctricos!) restaurantes por perto, supermercados, dormidas... perfeito para uma paragem grande ou pernoitar. 

S. Comba Dão
O ponto de partida pode ser na estação, mais concretamente na freguesia do Vimieiro. Atenção que dista cerca de 5km de S. Comba Dão. Faz parte da Linha da Beira Baixa, por onde passavam os 2 comboios internacionais SudExpress e Lusitânia que a pandemia (e o governo Espanhol) decidiram suprimir. Agora só mesmo os regionais e intercidades.
A linha é em via única eletrificada. Para passar neste viaduto de onde tirei foto precisas de fazer o caminho pelo lado direito da estação (voltado para norte). É mais longe, mas sempre por estrada. Ainda assim achei mais interessante e prático fazer pelo lado direito por caminho sem asfalto e gravilha. 
 
Não encontro a foto do km 49.5 bolas, será que me esqueci de tirar? Aqui já tínhamos mais 5km nas pernas porque começamos do lado esquerdo da estação. 
as mini bikes da Dahon que não nos deixaram ficar mal 

A paisagem que encontrámos no Dão é um pouco diferente da do Vouga. O vale é mais aberto, vê-se mais azul, tanto do céu como do rio e o silêncio ainda é maior tendo em conta que estamos mesmo muito afastados das nacionais O Vouga é mais romântico atravessando vilas e túneis e o Dão é mais cênico, embora isto seja relativo e tenha pouco significado porque somos todos diferentes e o que interessa é o sentimento de cada um quando está no local


Brutal. Claro que não vou descarregar aqui o rolo da máquina, assim estrago-te a surpresa. :)) E já descarrego mais do que devia. 

A chegada à primeira ponte ferroviária (Km 45)


Depois da ponte tens hipótese de ter um contacto mais próximo com o rio neste prado verdejante onde pelos vestígios percebi que é regularmente usado para a pastorícia. Encontrei também um pescador. 
As ecopistas são excelentes também para quem gosta de encontrar tesouros ligados à ferrovia. Placas, sinais, ruinas, carris. Já reparei que existe uma grande resistência dos amantes da ferrovia principalmente das gerações mais antigas, porque vêm nelas a representação do seu declínio. Como se fossem as culpadas. Gostava muito que ultrapassassem isso porque na verdade a ecopista deu oportunidade a todos de voltar a atravessar os canais embora de outro modo, mas o espírito continua muito presente.


Treixedo ao Km 43. A primeira estação nesta zona.
Treixedo em 1975 
Lembrando que a ecopista do Dão tem 49.5km de Santa Comba Dão a Viseu

Ao longo da ecopista vamos encontrando informação útil 


Atenção que não há nada na estação a indicar o início da Ecopista e logo por aqui se vê a falta de visão habitual e que podia permitir que mais pessoas explorassem. Podiam até ter alguns cartazes e folhetos na estação. Tens de fazer a plataforma do lado direito para norte até ao fim do cais 
Aqui já foi na volta, para lá fomos pelo lado esquerdo. 

O fim do cais da estação. É mais fácil e menos demorado por aqui. 

E pronto, acabou-se o passeio :( de volta para a capital e para a guerra das ciclovias
Obrigado por estares aí. Qualquer dúvida escreve em baixo que respondo. 


Comentários

  1. Já fiz com a minha Tern Node D8, essa ecopista. Vou ai voltar concerteza, é espetacular :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande Bruno obrigado pelo testemunho. Provavelmente farei o mesmo, mas de comboio, assim como as outras no norte. Quem sabe uma organização de pessoal com dobráveis, pensarei nisso

      Eliminar

Enviar um comentário